A comunicação na era do emoji

Blog Justweb – Fevereiro 2019

Após a invenção do e-mail na década de 1970 e em seguida com a criação dos celulares, ficou claro que o futuro seria repleto de mensagens instantâneas
escritas, e a fala ficaria em segundo plano. Quando a comunicação por texto se limitava aos caracteres, havia o emoticon, representações geralmente do rosto humano, feitas apenas através de sinais de texto, como pontuação, letras e números. A partir do avanço técnico dos aparelhos, os emoticons foram aos poucos sendo substituídos pelos emojis (e, imagem + moji, personagem), pequenas imagens originadas nos desenhos com caracteres, criadas em 1999 pela empresa japonesa DOCOMO.

O surgimento do emoji

Quando surgiram, os emojis estavam limitados a certos telefones de empresas japonesas, a partir de 2010 eles se tornaram parte dos alfabetos digitais do
mundo após sua inserção no Unicode. O Unicode é um padrão universal que permite que diferentes máquinas troquem e reconheçam entre si os mesmos
caracteres. Com a inclusão dos emojis, praticamente qualquer teclado digital pode enviar um, com a mesma facilidade da letra A. Os emojis vieram para auxiliar em uma grande dificuldade da linguagem escrita móvel, que se consolida cada vez mais: a falta de entonação, emoção e linguagem corporal, que a escrita, por si só, não dá conta. O processo de inclusão de emojis no Unicode é contínuo e a cada nova versão, novos emojis são incorporados. A lista completa de emojis para 2019 traz 230 novas carinhas e símbolos, além das já existentes. A ascensão do emoji se explica pelo fato de que nunca, desde a invenção da escrita, a comunicação cotidiana dependeu tanto do texto. Com o tempo, e a aceleração constante da vida e das necessidades de comunicação, a própria
conversa via voz, que exige um certo rito e uma concentração contínua, foi aos poucos dando espaço à agilidade e fragmentação da comunicação via texto.
Com a chegada das redes sociais, veio a sua consolidação.

Muito além das palavras

Coincidentemente, vemos que hoje, numa época em que a comunicação é dinâmica e rápida, os emojis, além de representar emoções e entonação, substituem os próprios sentimentos: “beijos” ao final de mensagens foram substituídos por corações, “Ok” virou um polegar para cima, “Meus parabéns” transformaram-se em palmas batendo. Quase 20 anos após sua criação, os emojis, sem dúvida, se transformaram em uma verdadeira linguagem no meio online. Na internet, um emoji vale por mil palavras. Em pouco tempo deixaram de ser apenas imagens complementares para tornarem-se símbolos da cultura, chegando até as discussões da
sociedade. Os emojis se tornaram fundamentais na comunicação moderna e estão mudando a forma de nos expressarmos.

Emojis e a linguagem

Será que chegará o dia em que voltaremos a nos comunicar apenas por imagens em vez de textos como no Egito antigo? Críticos acreditam que os caracteres empobrecem a linguagem e não conseguem transmitir a complexidade e riqueza de um assunto. Seria muito difícil surgir uma obra literária em emoji que não soasse como um grande resumo de ideias. Ainda é cedo para saber o futuro dos emojis e principalmente se eles têm potencial para se tornarem um idioma ou uma forma de comunicação complexa. O mais provável é que continuem a ser usados de forma complementar, em mensagens coloquiais que combinem texto escrito e
imagens. Mas os jovens da geração Z já estão crescendo com esse fenômeno. De acordo com uma pesquisa da empresa Talk Talk, 72% dos jovens entre 18 e 25
anos consideram mais fácil usar os emojis para expressar sentimentos. Segundo um estudo da Universidade da Califórnia, nos EUA, o emoji traz uma sensação psicológica de intimidade e proximidade na esfera virtual, uma maior conexão com o outro. Muitas vezes o emoji também é usado para reforçar um tom de voz ou sentido de uma ideia e até para quando não se tem mais nada a dizer, mas é necessária uma comunicação. Na linguagem não verbal, o sujeito que comunica está comunicando algo a alguém, só que sem o uso de palavras. É por isso que o símbolo deve ser de fácil reconhecimento. Toda imagem corre o risco de ser ambígua e interpretada erroneamente pelo receptor, já que sua interpretação depende do repertório cultural e pessoal de quem a recebe. É por isso que um bom emoji representa uma ideia facilmente identificada e compreendida por uma cultura, ultrapassando os limites linguísticos e verbais. Uma coisa é certa, os emojis
vieram para ficar e seu uso está crescendo em rápida velocidade.

By | 2019-03-20T21:13:27+00:00 20 de março, 2019|Dicas, Notícias|0 Comments